31 de ago de 2009

FPT Powertrain apresenta nova tecnologia: MultiAir


O mundo das válvulas não será mais o mesmo: a FPT Powertrain Tegnologies, subsidiária do Grupo Fiat, apresentou hoje ao Brasil a tecnologia MultiAir, que atua sobre o comando de admissão de ar no motor. A tecnologia deve estrear na próxima semana com o lançamento do Alfa Romeo MiTo na Europa, sendo o primeiro carro a utilizar o sistema. Para o Brasil, a empresa prometeu que, dado o sinal verde da matriz, a tecnologia pode ser fabricada por aqui em até dois anos.

Mas, o que é o MultiAir? A tecnologia controla o tempo e a levantamento das válvulas durante o ciclo de admissão do motor. ‘No motor de ciclo Otto (motores convencionais), o que comanda o motor é a entrada de ar e é aí que o MultiAir atua. No motor movido a diesel esse comando é feito pelo controle da entrada de combustível’, informa Erlon Rodrigues, engenheiro da FPT.

Com o sistema, a válvula de admissão pode abrir mais ou menos e até mais de uma vez no mesmo ciclo, sendo controlado por uma central eletrônica que colhe informações sobre o tipo de condução do motorista para determinar como e o quanto a válvula deve atuar para fornecer a melhor performance.

Segundo a FPT, a empresa está apta à fornecer a tecnologia MultiAir para outras montadoras, além das que também pertencem ao Grupo Fiat (Fiat, Iveco, Alfa Romeo, Lancia, Abarth, entre outras). Como o sistema é modular, ele pode se adaptar inclusive a motores já existentes, já que altera apenas a arquitetura do cabeçote.

A subsidiária da Fiat não falou especificamente em valores, mas indicou que o custo para o consumidor ‘não será nada que ele não se possa pagar’, sendo que os carros com o MultiAir serão mais caros que os convencionais, porém, mais baratos que os equipados com turbo.

A empresa informa que o novo sistema pode gerar uma economia de combustível de até 25% se o motor for equipado com turbo compressor. Sem o equipamento, o consumo é 10% inferior. As emissões também caíram: 40% de redução de hidrocarbonetos e óxidos de carbono (CO) e 60% de queda nos índices de NOx. Porém, a potência subiu 10% e o torque fica 15% superior que o de um motor de mesma cilindrada sem o MultiAir.

Antes de lançar o sistema, a FPT gastou 100 milhões de euros (R$ 268,7 milhões) no desenvolvimento da tecnologia, além das 20 mil horas e 2,3 milhões de quilômetros de testes.


Retirado de iCarros


Montadoras

FIAT (118) CHEVROLET (103) VOLKSWAGEN (92) FORD (63) HYUNDAI (60) KIA (47) NISSAN (47) RENAULT (47) GRUPO FIAT (44) TOYOTA (44) HONDA (41) DODGE (34) CHRYSLER (33) GM (33) PEUGEOT (29) FIAT-CHRYSLER (25) JAC (24) ALFA ROMEO (23) CITROËN (22) LAMBORGHINI (16) FERRARI (15) GRUPO CHRYSLER (14) JEEP (14) CHERY (13) HYUNDAI - KIA (12) PSA (12) MASERATI (11) GRUPO VW (10) RENAULT-NISSAN (10) MERCEDES-BENZ (9) AUDI (7) BMW (6) VOLVO (5) LIFAN (4) OPEL (4) ROSSIN-BERTIN (Vorax) (4) SUZUKI (4) ABARTH (3) MITSUBISHI (3) RAM (3) SAAB (3) ASTON MARTIN (2) BMW-i (2) CADILLAC (2) LANCIA (2) LAND ROVER (2) MG (2) PORSCHE (2) TATA (2) GEELY (1) LINCOLN (1) MAHINDRA (1) MAZDA (1) MINI (1) PAGANI (1) SMART (1)