4 de nov de 2011

Com o Novo Palio, Fiat dá adeus a um de seus maiores fracassos, e design é o que não falta













Você pode não ter percebido, mas esse Novo Palio, do jeito que é, existe em boa parte por causa do Novo Uno. Ao lançar a versão atualizado do sucesso italiano, a Fiat acabou, literalmente, com as vendas do Palio, o que todos já esperavam que acontecesse. Agora, a montadora tem dois candidatos para assumirem a tão sonhada liderança. SE um deles conseguir, qual será?

De segundo colocado à oitavo (pior colocação do modelo, em setembro de 2011), o Palio IV agonizava no mercado: era considerado feio e um fardo para a Fiat por não vender o que deveria, atrás até mesmo do Palio Fire (com carroceria antiga), o que vinha acontecendo já fazia um bom tempo.
Siga o FVC no Twitter e Curta o FVC Notícias no Facebook! 

A situação piorou com a chegada da segunda geração do Uno e a solução encontrada foi "deixar" o novo modelo ser o carro-chefe da marca italiana, pelo menos por um tempo. Mas agora, enfim, o Palio ganha uma nova geração, e o grande mistério é se ele voltará a vender o que ele vendia. E se isso acontecer, quem vai perder em vendas: Uno, Mille, Celta, Gol...?

O Novo Palio também existe graças ao Uno por compartilhar a mesma plataforma, modificada. Além dos novos motores Fire EVO estreados pelo hatch (nem tão) mais barato. Mas o motor 1.0 (de 73/75cv e 9,5/9,9kgfm) é um erro no Palio, que deveria começar no 1.4 (85/88 cv e 12,4/12,5 kgfm), ainda assim, deve ser a versão mais vendida. 


Além dos motores Fire Evo, o Palio recebe o elogiado 1.6 16V E.torQ (115/117cv e 16,2/16,8 kgfm de torque), que não está disponível no Uno. O E.torQ 1.8 será "exclusivo" do Punto, para não gerar uma nova briga dentro de casa.

O Palio também tem dois diferencias perante a concorrência e ao Uno: o câmbio Dualogic automatizado (por enquanto, só na Essence 1.6, mas em breve na Attractive 1.4) com trocas de marchas em borboletas atrás do volante, como era no Stilo, e que só está disponível entre seus concorrentes no Gol. Além disso, terá como opcional o volante multifuncional, que deixava o Palio IV defasado diante de seu maior concorrente, já que não possuía o item nem como opcional.
Veja mais fotos do Novo Palio no Facebook do FVC!
Falando em equipamentos, a Fiat decepciona quem esperava um modelo mais completo. Na versão de entrada, Attractive 1.0, apenas direção hidráulica e limpador e desembaçador do vidro traseiro são de série. Vidros e travas elétricas, ar-condicionado, ABS e airbag são todos opcionais, efeito do aumento do IPI justamente para os compactos mais completos? A versão Attractive 1.4 acrescenta chave com telecomando, abertura do porta-malas através do logo (igual ao Bravo) e rodas aro 14.

A Essence 1.6 melhora (bem) pouco, incluindo vidros dianteiros e travas elétricas e rodas aro 15. Só. Na Sporting, também 1.6, acrescenta-se rodas de liga-leve aro 16. Mas ABS e duplo airbag que é bom, só como opcionais em todas as versões, assim como cinto de três pontos para o passageiro central. Como consolação, há encosto de cabeça para o ocupante do meio.

Apesar dos poucos equipamentos, a lista é melhor do que a do Uno, que é ainda mais pelado. O compacto é, na verdade, um carro de entrada "disfarçado" de que está um degrau acima, assim, muita gente não vê que o Uno é tão pelado quanto Mille e Gol G4.


DESIGN PRA NINGUÉM BOTAR DEFEITO
Quanto ao design, se o Uno é quadrado e procura agradar por ser "fofo" e diferente, o Palio vai mais na linha do Gol, procurando agradar à todos, com linhas mais comuns e arredondadas. Ambos são muito bonitos, mas o Uno é um "Soul para quem não tem tanto dinheiro" (o que não é nem um pouco ruim), e o Palio é mais comum mesmo. Por exemplo, se eu tivesse que dar uma nota, apesar de serem contrastantes, eu daria a mesma para os dois.

O Palio não tem preocupação em mostar que se inspirou no Punto, de Giorgetto Giugiaro (veja mais ao lado), para agradar e fazer sucesso. O resultado é muito bom, ao contrário do que aconteceu com a última geração. Mas que muita gente vai achar que o Palio é o Punto, isso vai, antes mesmo do lançamento já escutei isso, a frente é muito semelhante.

Na traseira, a lanterna chama a atenção e segue as novas tendências, principalmente dentro da Fiat. Ela é uma tentativa bem-sucedida de juntar as antigas lanternas do Palio (voltando à interferir no vidro, o que só não aconteceu nesta última)com um pouco de cada hatch presente na gama da marca hoje, e num geral, toda a traseira é assim.

A lateral também é moderna e vincada. Mas são vincos diferentes dos do Novo Uno, que são mais suaves mas também estão ali. Se você olhar a diferença entre Uno e Palio e depois lembrar do Gol, a impressão é de que o Palio é perfeito para bater de frente com o inimigo público número um, o que já não se pode dizer do Uno, menor e muito diferente do VW.

Outra coisa que o Palio herdou do Novo Uno são os adesivos. O Palio também pode ser personalizado na concessionária, assim como o irmão menor e o Fiat 500.

Falando em Cinquecento, a Quatro Rodas disse que o Palio subiu tanto na qualidade de acabamento que está muito próximo do compacto mais premium, o que se é de parabenizar, afinal, o 500 vai para os EUA, e os brasileiros não estão muito acostumados a serem tratados de igual para igual. O interior realmente surpreende, principalmente na versão top, a Sporting, com um cinza mais claro e detalhes em vermelho. É mais um lançamento que tem um bom interior.


Ainda sobre o interior, os materiais parecem os usados no Uno, mas, na verdade, se trata mais de um family-feeling, já que a qualidade é superior. O Palio também herdou itens do Punto, como os repetidores de seta. Ou seja, podemos perceber Palio ganhou bastante coisa de carros mais caros (já foram citados Punto, Stilo e Bravo), são pequenas, mas é legal ver isso; assim como saber que o volante multifuncional da linha Gol é o mesmo do Passat CC.

O que chama bastante atenção é o quadro de instrumentos com LCD branco, novos grafismos e ponteiros iluminados em toda a barra, onde a disposição dos elementos é em 3D. Ele conta com o WelcomeMoving: ao girar a chave de ignição os ponteiros realizam um movimento para checar se estão funcionando bem e fazem uma saudação ao motorista. A iluminação do quadro de instrumentos acende e apaga gradativamente, acompanhando o movimento dos ponteiros.

Outra coisa que a Fiat trouxe do Punto, Linea, Bravo, Uno... para o Palio é o logotipo estilizado, com o P como se fosse o mastro de uma bandeira usada no esporte palio, praticado em Siena, na Itália. Essa técnica apareceu por aqui com o Punto, que tinha em seu "P" um boneco dirigindo.

EM FASE DE CRESCIMENTO
Indiretamente, o Palio também pode concorrer com Fox, Agile e Sandero, o que já é território do Punto, então, é melhor aquela evolução chegar logo para o hatch mais caro, Fiat!

Contribui para isso o crescimento do Palio: no comprimento, são 3 cm a mais (totalizando 3,88 metros); já a altura ganhou impressionantes 6 cm, e ficou com 1,51 m (pra se ter uma ideia, o Fox tem 1,54); quanto ao entre-eixos, houve um aumento de bons 5 cm, com 2,42 m, garantindo espaço interno mais amplo, principalmente atrás, com 10 cm a mais para as pernas


O porta-malas tem 280 litros, mas como utiliza a mesma tecnologia do Uno, pode ganhar 5 ou 10 litros a mais conforme a posição do encosto do banco, portanto, chega a um empate com o VW Gol, em 285l, e com o próprio Uno, que tem os três mesmos números (280, 285 ou 290).

O Palio cresceu, ficou bem mais bonito, ganhou itens modernos, como Cruise Control (piloto automático) e até side bags (airbags laterias)! E o melhor: não mudou de preço (na versão de entrada, ficou alguns poucos reais mais baratos). É claro que a Fiat poderia ter caprichado um pouco mais nos itens de série, mas até que dá para entender. 

Vejamos o Gol, que começa na mesma faixa de preço e é tão pelado quanto, não tendo direção hidráulica de série na versão 1.0 de entrada, já é uma vantagem ter ela de série no Palio. Ainda mais visto que os concorrentes mais equipados terão "problemas" com o novo IPI, senão, queria ver se o Novo Palio seria tão fraco assim na lista de itens de série.


NO FINAL...
Com essa nova geração, a Fiat resolve o principal problema do Palio: o design. E com isso resolvido, é muito difícil que ele não volte a vender o que vendia. Quero só ver as vendas do Uno, se continuarem as mesmas, quem é que sofrerá? 


Ambos têm condições de chegar à liderança, mas eu aposto que o Uno perderá forças, ficando na casa de 10 a 15 mil vendas, enquanto o Palio ficará próximo do Gol, pois ele nunca conseguiu de fato passar o Volkswagen em meses seguidos (veja mais ao lado).

O Palio é lançado com aquela sensação: "há alguma dúvida de que esse carro fará sucesso?", assim como foi com o Gol (e até com o Uno), não há incertezas, pode apostar: a briga entre as duas montadoras vai pegar fogo. E a resposta é não, a não ser que uma boa macumba role nos bastidores.

Novo Palio 2012
_________________________________________________________________________________________
Fontes e fotos: Fiat/Divulgação  |  Quatro Rodas  |  Vrum

Montadoras

FIAT (118) CHEVROLET (103) VOLKSWAGEN (92) FORD (63) HYUNDAI (60) KIA (47) NISSAN (47) RENAULT (47) GRUPO FIAT (44) TOYOTA (44) HONDA (41) DODGE (34) CHRYSLER (33) GM (33) PEUGEOT (29) FIAT-CHRYSLER (25) JAC (24) ALFA ROMEO (23) CITROËN (22) LAMBORGHINI (16) FERRARI (15) GRUPO CHRYSLER (14) JEEP (14) CHERY (13) HYUNDAI - KIA (12) PSA (12) MASERATI (11) GRUPO VW (10) RENAULT-NISSAN (10) MERCEDES-BENZ (9) AUDI (7) BMW (6) VOLVO (5) LIFAN (4) OPEL (4) ROSSIN-BERTIN (Vorax) (4) SUZUKI (4) ABARTH (3) MITSUBISHI (3) RAM (3) SAAB (3) ASTON MARTIN (2) BMW-i (2) CADILLAC (2) LANCIA (2) LAND ROVER (2) MG (2) PORSCHE (2) TATA (2) GEELY (1) LINCOLN (1) MAHINDRA (1) MAZDA (1) MINI (1) PAGANI (1) SMART (1)