4 de nov de 2011

Diante do Logan, novo Chevrolet Cobalt consegue os três Bs

O desenvolvimento do Cobalt levou cinco anos, segundo a GM.
O Cobalt (côbalt) finalmente é lançado. Já se falou tanto desse novo sedã da Chevrolet, que é capaz de muita gente ficar entediada com o dia de hoje, já que se falará mais ainda sobre ele. Mas é melhor você se acostumar, porque pelo que ele traz é bem provável que você o encontrará bastante nas ruas brasileiras, substituindo o Corsa Sedan e o Astra de uma só vez.

A Chevrolet nem tentou "mascarar" o objetivo do carro: ser bom, bonito (o que pode ter passado longe, dependendo do ponto de vista) e barato. Com excessão de ser bonito, ele parece que não vai fazer feio em conquistar o seu objetivo, de concorrer de igual para igual com o Renault Logan, que parece vender tanto quanto água.

O carro tem 4,47 metros de comprimento, 1,73 m de largura, 1,51 m de atura e entre-eixos de 2,62 m - maior que do Linea e do recém-chegado Versa, e empatado tecnicamente com o do Logan (2,63 m). Assim, ele faz parte de uma categoria recente, mas pouco difundida: "sedãs médios compactos", agora, finalmente, achamos uma categoria para ele e milhares de outros sedãs, como VW Polo, Fiat Linea, Kia Cerato, Honda City e Ford New Fiesta!


O carro é bem equipado desde a versão de entrada, a LS - que custa R$ 39.980, com direção hidráulica, ar-condicionado, travas elétricas, chave canivete com abertura à distância, banco do motorista com regulagem de altura, mostrador digital e desembaçador traseiro, entre outros (veja o conteúdo e preços das outras versões no box ao lado).
Siga o FVC no Twitter e Curta o FVC Notícias no Facebook!
Mas você vai dizer que o Logan começa nos R$ 29.000 e pouquinho. Sim, você está certo, mas o Logan nesse valor é tão pelado quanto um Fiat Mille. Para você ter um Logan equivalente ao Cobalt, precisa ser o Expression (R$ 30.850), com motor 1.0, ou o Expression Automático 1.6, de R$ 41.950.
Como o Cobalt só tem o motor 1.4 Econo.Flex atualizado - que rende 97/102 cv (g/e), chega de 0 a 100 km/h em 11,9/11,5 segundos e atinge 170 km/h - por enquanto (a Chevrolet já disse que um motor 1.8 chegará em breve, assim como um câmbio automático de seis marchas), sim, o Cobalt poderia ser um pouco mais barato, já que pode concorrer com as duas varições Expression do Logan. Acontece que ele é mais carro que o seu concorrente, e tem um acabamento muito melhor.
Veja mais fotos do Cobalt no Facebook do FVC!

Para se ter uma ideia, além desses dois fatores, a revista Quatro Rodas disse que o sedã chega a ser tão grande quanto ou maior em espaço interno que o Cruze, que teoricamente deveria ser maior por ser mais caro. Ela também comparou o acabamento com o novo sedã médio da "Chevy", e disse que o Cobalt não fica muito atrás.

Segundo a Chevrolet, o sedã tem um comportamento dinâmico similar ao de carros europeus: firme nas curvas, mas confortável e com ótima absorção das irregularidades do solo, com condução suave e agradável, com foco no conforto. O trabalho na suspensão também focou na minimização dos ruídos e vibrações.

O Cobalt é mais moderno (dá uma olhada nos mostradores, que são parecidos com os da linha Sonic/Aveo), é um carro global - será vendido em mais de 40 países e fabricado em quatro lugares ao redor do mundo, foi projetado no Centro Tecnológico da GM do Brasil e passa a sensação de ser um carro superior, de uma categoria acima, diante do Logan.


Apesar disso, o Cobalt não engana ninguém, ele é feio e esquisito sim, e como a própria GM divulgou para a imprensa, "é um carro construído de dentro para fora". Mas como gosto é muito particular e o Logan (aliás, quase toda a gama da Renault) provou, design não é tudo, isso provavelmente não afetará nem um pouco as vendas do Cobalt.

A frente do sedã te leva à pensar que ele é o sedã do Agile, mas não se engane, ele não tem nada compartilhado com o hatch (a sua nova plataforma vem da do Corsa europeu, por isso ele foi flagrado por aqui - e ainda é, já que servem de mula para a nova minivan da marca), a não ser a filosofia de design, é o tal do family-feeling.

Além disso, os olhos de E.T. (ou, para alguns, os faróis) são parecidos mas diferentes. O Cobalt tem um detalhe como se fossem "cílios" logo abaixo e a grade está mais para modelos internacionais do que para a mal-feita do Agile e da Montana. Se não fosse pelo farol, que parece ser pequeno para o carro, a frente do Cobalt seria infinitamente melhor, repare no restante das linhas, elas são simples, mas modernas e bonitas, assim como a lateral do modelo.


Quando se chega na traseira, a situação melhora um pouco, e as linhas simples, modernas e bonitas continuam. O problema da lanterna do conceito foi resolvido, ainda bem (parecia um tunning mal feito com aquelas coisas de sci-fi) e a traseira acaba se tornando o melhor ângulo deste sedã.

Como já havia falado, o Cobalt tem o DNA americano, com o jeito do antigo Cobalt (o nome vem de um antigo sedã americano). Ele realmente parece um sedã projetado para os EUA, e poderia ter até que um relativo sucesso por lá no atual momento. Preste atenção na lateral, há um vinco "saindo" da lanterna que lembra o de muscle-cars americanos, como o do próprio Camaro, mas aqui ele é bem menos acentuado, é mais discreto.


A Chevrolet quer vender 3.500 unidades por mês da sua nova aposta. O Logan, em outubro, vendeu 3.239 unidades. O Cobalt tem chance de alcançar a sua meta e conquistar os brasileiros; eu comecei a escrever esse post achando-o um carro tão ruim quanto os defasados que a GM possui atualmente (o sedã substitui dois deles: a versão sedã do Corsa e o hatch médio Astra), e acabei me simpatizando com ele, bem mais com que o Logan.

Mas e então, o Cobalt é melhor do que o sedã francês? Sem dúvida. Ele é melhor no acabamento, no projeto, na construção e até no design. Então, se for comparado ao Logan, o Cobalt consegue ser bom, barato e até bonito. Além de ser bem mais moderno. Ah, e ele também tem os três anos de garantia do rival. Acho que as coisas se complicaram para o Renault.

Novo Chevrolet Cobalt

__________________________________________________________________________________________
Fontes: Revista Quatro Rodas  |  Interpress Motor  |  Divulgação/GM  |  UOL Carros

Montadoras

FIAT (118) CHEVROLET (103) VOLKSWAGEN (92) FORD (63) HYUNDAI (60) KIA (47) NISSAN (47) RENAULT (47) GRUPO FIAT (44) TOYOTA (44) HONDA (41) DODGE (34) CHRYSLER (33) GM (33) PEUGEOT (29) FIAT-CHRYSLER (25) JAC (24) ALFA ROMEO (23) CITROËN (22) LAMBORGHINI (16) FERRARI (15) GRUPO CHRYSLER (14) JEEP (14) CHERY (13) HYUNDAI - KIA (12) PSA (12) MASERATI (11) GRUPO VW (10) RENAULT-NISSAN (10) MERCEDES-BENZ (9) AUDI (7) BMW (6) VOLVO (5) LIFAN (4) OPEL (4) ROSSIN-BERTIN (Vorax) (4) SUZUKI (4) ABARTH (3) MITSUBISHI (3) RAM (3) SAAB (3) ASTON MARTIN (2) BMW-i (2) CADILLAC (2) LANCIA (2) LAND ROVER (2) MG (2) PORSCHE (2) TATA (2) GEELY (1) LINCOLN (1) MAHINDRA (1) MAZDA (1) MINI (1) PAGANI (1) SMART (1)