4 de mar de 2013

Sedã do HB20 é caro demais, mas Novo Prisma compensa

Prisma vem para vender bem e, quem sabe, tomar o lugar do Classic, que vem caindo, dentro da GM. (Chevrolet/Divulgação)

Chevrolet e Hyundai, mais uma vez, decidiram apresentar novidades semelhantes e num curto intervalo de tempo. A primeira veio com a nova geração do Prisma, agora baseada no Onix; a segunda, mostrou o HB20S que, apesar do que o nome sugere, não é a versão esportiva do hatch sul coreano, mas sim a opção de carroceria sedã. Ambos se mostram opções interessantes na hora da compra, mas cada um tende a um lado mais específico.


O HB20S irá lhe conquistar por conta de itens de conforto. Isso fica bem claro. Ele é caro, mas já vem com direção hidráulica, ar condicionado e rádio CD com MP3, entrada USB e bluetooth. Além desses itens, é de série airbag duplo, vidros e travas elétricas nas quatro portas, computador de bordo e chave do tipo canivete com sistema Keyless, entre outros. E sim, está faltando ABS (assim como no HB20 hatch), o que é uma grande falha para um carro que custa R$ 39.495 (versão Comfort Plus 1.0), ainda mais se você considerar que 2014 está quase aí, e será obrigatório a partir de então.

HB20S é menos ousado do que o hatch. (Autoesporte)

Enquanto isso, o Prisma tem uma lista mais contida, só que mais em conta também, ou seja, mais racional, apesar do desejo da Chevrolet de posicioná-lo como o "primeiro sedã esportivo compacto". Por R$ 34.990 (versão LT 1.0), o Chevrolet traz direção hidráulica, freios ABS com EBD, ajuste de altura do banco do motorista, airbag duplo, chave do tipo canivete e vidros e travas elétricas. A surpresa fica por conta do sensor de estacionamento, que a GM decidiu incluir em todos os modelos, desde o mais básico. A quantidade de itens de série pode não ser tão grande quanto a do coreano, mas é bem respeitável (e tem o ABS), ainda mais se você levar em consideração que são R$ 5 mil de diferença!

Motorização: um ponto de equilíbrio


A Hyundai não pode contra-atacar dizendo que o HB20S só tem motor 1.6, como se foi especulado, e por isso é mais caro. Apesar do motor do HB20 ser muito bom e ultramoderno, o do Onix não fica muito atrás: ambos contam com 80 cavalos, utilizando etanol (com gasolina, o motor do HB20S rende 76 cv, e o do Prisma, 78 cv) na opção 1.0. Além disso, a linha Econo.Flex, que equipava o antigo Prisma, foi toda revista para o Onix, e recebeu várias críticas positivas.

Já nas opções mais potentes, a diferença é maior. Enquanto o Prisma utiliza o motor 1.4 SPE/4, de 106 e 98 cv, o HB20S é equipado com o 1.6 Gamma (mesmo do novo i30), de 128 e e 122 cv, respectivamente, com etanol e gasolina.

Interior é o mesmo da versão hatch. (Hyundai/Divulgação)

Perda do feitiço, vitória da tecnologia


Cada modelo tem o seu diferencial. Por derivar do HB20, o HB20S conta com o design "sem igual" da versão hatch, porém, diria que, com o passar do efeito novidade, o desenho não é tão avassalador assim. Sim, pra mim, o hatch é mais bonito e harmônico. Talvez, a impressão se dê por conta da reutilização das lanternas. Isso não quer dizer, porém, que o HB20S seja feio, pelo contrário! Ele só não é tão bonito e diferente de seus concorrentes como o hatch é. Ainda considero o Grand Siena como referência nessa área, num primeiro momento. O misto de design bonito com mecânica de primeira (diria que um Voyage mais ousado, caro e maior) acaba sendo o destaque.

O Prisma, por sua vez, é um carro agradável. Finalmente a Chevrolet acertou a mão no design de um projeto brasileiro, é o melhor dessa safra! Mas ele está longe de Grand Siena e HB20S, ainda. Por isso, o "sport sedan" da Chevrolet tem no MyLink seu grande trunfo. É o único do segmento (nem mesmo seu irmão maior Cobalt possui) a oferecer uma central multimídia que, no caso, tem uma tela LCD de sete polegadas do tipo touch screen. Com ela, é possível controlar funções do carro, ver fotos e vídeos do seu celular, assim como escutar músicas e utilizar o navegador GPS. Aplicativos em comum com sistemas móveis também é um diferencial, como o TuneIn Radio, que lhe permite escutar estações de rádio de todo o mundo e já está disponível para Android, iOS e Windows. (Quem já é dono do Onix pode atualizar o sistema numa concessionária para receber esse e mais um novo aplicativo.)


O interior do Prisma é elegante e de linhas modernas ao mesmo tempo. MyLink, presente em modelos internacionais e mais caros, é destaque. (Chevrolet/Divulgação)

O MyLink pode ser adicionado nas versões LT (com motor 1.0 ou 1.4), já que é opcional, e vem de série no LTZ 1.4, que custa R$ 45.990. Diria que, se você tem como pagar a mais por ele, vale a pena. É uma inovação muito bacana e que não existe no segmento de entrada.

Batismo errôneo?


Os nomes desses dois sedãs são controversos. A Hyundai escolheu mal, na minha opinião. A Chevrolet, nem tanto. Explico: HB20S, como já disse, dá a impressão de versão esportiva, ainda mais se considerarmos que a tática já foi utilizada no hatch aventureiro, com a letra X. O simples HB20 Sedan seria mais bonito. Além disso, já vi a troca da letra "S" pelo "$", por conta do preço elevado, hoje (dia da divulgação dos preços) aqui na internet. No caso do Prisma, há uma explicação básica, que a própria Chevrolet dá: a marca se consolidou, mesmo em apenas seis anos de mercado. Isso já foi mostrado nesse post do FVC.

A traseira do Prisma ficou legal: é curta, moderna e imponente. Ao contrário de HB20 e HB20S, o sedã se saiu melhor do que o hatch. (Chevrolet/Divulgação)

Tamanho: Grand


O Prisma cresceu e até poderia se chamar Grand, de acordo com a estratégia da Fiat. Agora são 2,5 metros de entreeixos, 1,7 m de largura e 4,2 m de comprimento. Em comparação, o Grand Siena tem os mesmos 2,5 m, 1,7 m e 4,2 m, respectivamente (sim, o Prisma foi feito sob medida para encarar o italiano, literalmente). Por sua vez, o HB20S apresenta... os mesmos números: 2,5 m de entreeixos (igual ao do hatch), 1,70 m de largura e 4,2 m de comprimento. O porta-malas do Prisma é de 500l, do HB20S, de 450l, e do Grand Siena, 520l. Isso tudo gera certa polêmica, afinal, não estaria o HB20S muito acima da sua faixa de preço, portanto?

Vale lembrar que o Grand Siena, líder do segmento, em sua versão Attractive, com motor 1.4 Fire EVO de 88 cv, parte de R$ 37.010, com chave canivete, computador de bordo, direção hidráulica, airbag duplo, freios ABS com EBD e travas e vidros elétricos. O Prisma vem mais barato do que essa referência, até por que utiliza motor 1.0. Já o HB20S vem aproximadamente R$ 2 mil mais caro. A Car And Driver diz que é plano da própria Hyundai para não criar tanta fila de espera pelo modelo. Será? É bom lembrar que ainda existem Versa (R$ 36.590) e Cobalt (R$ 39.890), este último mais próximo do Hyundai.

O HB20S é bonito, principalmente na frente, onde utiliza exatamente o mesmo conjunto do HB20 tradicional. (UOL Carros)

No final...


O HB20S é muito bom, principalmente, para aqueles que não ligam muito para o preço, mas querem um carro que parece ser superior ao que ele realmente é. No entanto, a falta do ABS é uma grande mancada, principalmente, na hora da revenda.

Curta o FVC no Facebook e veja mais fotos do Novo Chevrolet Prisma!

Enquanto isso, o Prisma parece recompensar as pequenas falhas do seu concorrente, ainda mais por ser mais barato, e não tem como compará-lo com o cansado, apertado e sem ergonomia antigo Prisma, derivado do Celta. A evolução é tão grande quanto a que o maior concorrente desses dois novos sedãs sofreu. O Grand Siena se tornou uma referência, desejado e de sucesso, ainda é o que mais alia design à bom custo-benefício. Porém, não é à toa que as versões hatch de HB20S e Prisma estão fazendo sucesso, não é mesmo?

Versões, Preços, Equipamentos & Opcionais


Prisma tem preço mais em conta e três anos de garantia. Versão automática ainda não foi apresentada. (Chevrolet/Divulgação)
  • PRISMA LT 1.0 - R$ 34.990: direção hidráulica, freios com ABS (sistema antitravamento), EBD (distribuição da força da frenagem) e airbags duplos frontais, sensor de estacionamento, coluna de direção com ajuste de altura, acendimento das luzes do carro após o destravamento das portas, travamento automático das portas ao atingir 15 km/h, chave do tipo canivete com abertura do porta-malas por botão, vidros elétricos dianteiros, alarme e protetor de cárter, para-choques na cor da carroceria e rodas de 14 polegadas com calotas.
  • LT 1.4 - R$ 39.090: itens da LT 1.0 mais banco do carona rebatível, lanternas com lentes escurecidas e rodas de 15 polegadas com calotas.
  • LTZ 1.4 - R$ 45.990: itens da LT 1.4 mais ar-condicionado e sistema multimídia MyLink, faróis e lanterna de neblina, vidros traseiros e retrovisores externos com regulagem elétrica e rodas de alumínio de 15 polegadas.
  • Opcionais e acessórios: câmera de ré conectada à tela central, DVD para os encostos de cabeça dos bancos dianteiros, pedaleiras esportivas, frisos cromados, luzes de faróis e lanternas na configuração Effect Blue, adesivos e bancos em couro.
HB20S conta com cinco anos de garantia, mas é mais caro. Opção de câmbio automático, de quatro marchas, acrescenta R$ 3 mil. (UOL Carros)
  • HB20S Comfort Plus 1.0 - R$ 39.495: ar-condicionado, direção hidráulica, airbag duplo, cintos dianteiros com pré-tensionador, vidros elétricos nas quatro portas, trava elétrica e rádio CD-Player com MP3, entrada USB e Bluetooth com comandos no volante, computador de bordo com seis funções, regulagem de altura do banco do motorista, chave do tipo canivete com sistema Keyless e moldura negra para os faróis.
  • Comfort Style 1.0 - R$ 42.675: itens da Comfort Plus mais freios com sistema ABS (antitravamento) e EBD (distribuição eletrônica da força de frenagem), retrovisores com comando elétrico e repetidor de seta, rodas de liga leve de 14 polegadas modelo "Octus" e faróis de neblina.
  • Comfort Plus 1.6 - R$ 44.995: itens da Comfort Plus 1.0 mais com ABS e EBD.
  • Comfort Style 1.6 - R$ 48.175 ou R$ 51.375: itens da Comfort Style 1.0, com opção de câmbio automático de quatro marchas (por isso, a opção com o acréscimo de R$ 3.000).
  • Premium 1.6 - R$ 50.795 e R$ 53.995: sensores de luminosidade e de ré, volante e manopla do câmbio revestidos de couro e rodas de liga de aro 15 ("S-Wing"). Opção de câmbio manual de cinco marchas ou automático de quatro velocidades.
  • Pinturas: metálica ou perolizada custam, respectivamente, R$ 1.070 e R$ 1.270.


[Fontes: Chevrolet/Divulgação, UOL Carros, Car and Driver e Autoesporte]


Montadoras

FIAT (118) CHEVROLET (103) VOLKSWAGEN (92) FORD (63) HYUNDAI (60) KIA (47) NISSAN (47) RENAULT (47) GRUPO FIAT (44) TOYOTA (44) HONDA (41) DODGE (34) CHRYSLER (33) GM (33) PEUGEOT (29) FIAT-CHRYSLER (25) JAC (24) ALFA ROMEO (23) CITROËN (22) LAMBORGHINI (16) FERRARI (15) GRUPO CHRYSLER (14) JEEP (14) CHERY (13) HYUNDAI - KIA (12) PSA (12) MASERATI (11) GRUPO VW (10) RENAULT-NISSAN (10) MERCEDES-BENZ (9) AUDI (7) BMW (6) VOLVO (5) LIFAN (4) OPEL (4) ROSSIN-BERTIN (Vorax) (4) SUZUKI (4) ABARTH (3) MITSUBISHI (3) RAM (3) SAAB (3) ASTON MARTIN (2) BMW-i (2) CADILLAC (2) LANCIA (2) LAND ROVER (2) MG (2) PORSCHE (2) TATA (2) GEELY (1) LINCOLN (1) MAHINDRA (1) MAZDA (1) MINI (1) PAGANI (1) SMART (1)