12 de dez de 2013

Brasil anda para trás mais uma vez e pode adiar obrigatoriedade de airbag e ABS

Pagou R$ 85 mil numa Kombi Last Edition? Triste...

Quem diria que o adeus da Kombi ficaria manchado assim. (VW/Divulgação)

Nos últimos dias, foram divulgadas informações sobre a prorrogação do prazo para a obrigatoriedade de todos os modelos serem equipados com airbag e ABS, o que deveria acontecer a partir de janeiro de 2014.

Segundo a medida original, em 2010, 8% dos carros novos deveriam contar com esses equipamentos que são extremamente básicos para a segurança de nossos carros, já preocupantes. A partir de 1° de janeiro de 2011 esse número subiu para 15% e, depois, para 30% no começo de 2012. Em 2013, por sua vez, 60% da produção e todos os projetos novos contaram com eles. A próxima etapa seria, justamente, a totalidade em ambos os casos.

Porém, como publicou o Autos Segredos, o secretário-geral do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Wagner Santana, declarou que o governo iria criar uma medida provisória para adiar esse limite. Portanto, o sindicato -- supostamente preocupado em perder cerca de 4.050 empregos com a desativação das linhas de montagem dos Volkswagen Gol G4 e Kombi -- propõe "um jeitinho brasileiro": que a obrigatoriedade na produção passe primeiro para 70% no ano que vem, aumentando em 2015 e chegando a 100% só em 2016.

Até então (terça-feira), tudo não passava de especulação. Porém, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou que essa é sim uma possibilidade (diga-se de passagem, muito vergonhosa). Segundo ele, uma reunião será feita com a Anfavea (Associação de Fabricantes de Veículos Automotores) na próxima semana para se chegar a um consenso. O objetivo oficial é frear a inflação, já que os modelos terão um reajuste de preço. (Para exemplificar: a Fiat aumentou em pouco menos de R$ 1000 o preço do Palio com os equipamentos de série.)

"Possivelmente o governo vai adiar essa medida", Guido Mantega.

É aí que a coisa fica ainda mais esquisita: segundo os metalúrgicos, Fiat (que dará fim ao antigo Fiorino e ao Mille Fire) e VW estariam de acordo com a medida. O fato é que ambas as marcas já tomaram medidas para com o fim desses modelos. A VW, por exemplo, lançou uma série especial da Kombi por absurdos R$ 85 mil, além de ter montado toda uma campanha para o velório de seu modelo, com direito a testamento. E quem pagou esse valor exagerado por uma Kombi com pintura diferente? A tal da "Last Edition" não vai ser a última edição? Ou a VW vai devolver o dinheiro? Eu, particularmente, duvido...

Projetos mais modernos para quê? (Fiat/Divulgação)

Enquanto isso, a Fiat gastou com o projeto do Novo Fiorino, apresentado nesse ano e que está chegando às lojas esse mês. A montadora italiana também venderá uma série especial -- que já está pronta -- para seu modelo com dias contados, a Grazie Mille. Será mesmo que essas marcas apoiam todo esse prejuízo? É por isso que a Anfavea está dividida, segundo o Estadão. Talvez, maior do que comprometimento no bolso, será o comprometimento em suas imagens -- o que pode ser ainda mais perigoso.

Segundo análise da Folha, toda essa possibilidade se deve a uma estimativa de recuo do mercado no ano que vem. O texto ainda cita a possibilidade da retirada do ABS e do airbag da lista de séries de modelos que receberam os equipamentos nesse ano, ou seja, eles voltariam a ser opcionais. Isso é o cúmulo, não?

O motivo da revolta é simples: o país demorou anos para aprovar uma medida que regulamenta equipamentos, como disse, básicos e, em dezembro de 2013, vem se cogitar adiá-la, sendo que ela entra em vigor em janeiro de 2014? E as marcas que já atualizaram seus projetos? E os compradores de séries especiais absurdas? E o respeito? Provavelmente, NENHUMA justificativa é válida.

Hoje em dia, quase todos os modelos já possuem pelo menos uma versão com ABS e airbag de série, as montadoras que darão adeus a alguns de seus modelos já se preparam para produzirem outros (a Volks, o Golf e  o up!; a Fiat vem com uma nova fábrica inteira por aí, aumentou a produção do novo Fiorino e, provavelmente, fará o mesmo com a do Palio Fire, que ganhará novidades) e preço não é mais, por si só, fator decisivo de compra tendo em vista que temos sedãs no top cinco de vendas e quedas no segmento dos 1.0. Então, por que toda essa palhaçada logo agora?


O Autos Segredos organizou uma petição contra a medida:
http://www.avaaz.org/po/petition/Ministro_Guido_MantegaMinisterio_da_Fazenda_Nao_adie_a_obrigatoriedade_de_freios_ABS_e_airbags/?copy


[Com informações de Estadão, Autos Segredos e Folha de S. Paulo]


Montadoras

FIAT (118) CHEVROLET (103) VOLKSWAGEN (92) FORD (63) HYUNDAI (60) KIA (47) NISSAN (47) RENAULT (47) GRUPO FIAT (44) TOYOTA (44) HONDA (41) DODGE (34) CHRYSLER (33) GM (33) PEUGEOT (29) FIAT-CHRYSLER (25) JAC (24) ALFA ROMEO (23) CITROËN (22) LAMBORGHINI (16) FERRARI (15) GRUPO CHRYSLER (14) JEEP (14) CHERY (13) HYUNDAI - KIA (12) PSA (12) MASERATI (11) GRUPO VW (10) RENAULT-NISSAN (10) MERCEDES-BENZ (9) AUDI (7) BMW (6) VOLVO (5) LIFAN (4) OPEL (4) ROSSIN-BERTIN (Vorax) (4) SUZUKI (4) ABARTH (3) MITSUBISHI (3) RAM (3) SAAB (3) ASTON MARTIN (2) BMW-i (2) CADILLAC (2) LANCIA (2) LAND ROVER (2) MG (2) PORSCHE (2) TATA (2) GEELY (1) LINCOLN (1) MAHINDRA (1) MAZDA (1) MINI (1) PAGANI (1) SMART (1)