25 de nov de 2011

Dodge Durango, entre outras novidades, vem para fazer a Chrysler crescer 50% no Brasil

Esse é o Dodge Durango, que foi flagrado no Brasil recentemente.
Agora sob comando da Fiat, parece que o Grupo Chrysler acordou. A marca quer crescer 50% no Brasil em 2012 e enxergou, finalmente, potencial no nosso país que outras marcas já descobriram faz tempo (a Fiat, inclusive, é um bom exemplo). Mas para chegar lá - e ajudar na meta de 6 milhões de veículos por ano na soma de vendas das marcas italianas com as americanas a partir de 2014 -, ainda é preciso investir em novidades, e a marca sabe disso, já que prepara grande lançamentos a partir de agora.
Esse é o Journey, não o Freemont. O modelo ganhou a nova identidade da Dodge, que cedeu a antiga à marca RAM.
Interior agora é o mesmo do Freemont.
O primeiro a chegar é da Dodge (marca, aliás, que receberá bastante atenção). O Journey acaba de ganhar o seu esperado facelift, mas ao invés de ficar mais caro ficou dois mil reais mais barato (agora parte de R$ 97.500). O que ele tem de diferente do Fiat Freemont? Nada que você enxergue, praticamente. A grade é diferente, e os logotipos também, só. 

O que realmente será o trunfo do modelo é o novo motor Pentastar V6 3.6 de 280 cv e 34,7 mkgf de torque, com um câmbio de seis marchas. Enquanto isso, o Freemont tem um 2.4 de 172 cv e 22,4 mkgf, e um câmbio de apenas quatro marchas. Notou a diferença agora, né? "Não há outro modelo com potência perto dos 280 cv nessa faixa de preço", segundo Emílio Paganoni, coordenador de produto do grupo. Agora estou começando a entender melhor aquela história de o Freemont ser a versão de entrada do Journey, só que de outra marca.
A versão da Dodge tenta ser mais esportiva, enquanto o Fiat, mais SUV, com um ar "adventure".
As outras novidades do grupo serão concentradas no primeiro semestre do ano que vem, se nada mudar. Ano novo, carros novos: assim será a Chrysler em 2012 no Brasil. Aliás, a marca também ganhará novas casas. A ideia é abandonar as concessionárias que ainda são interligadas às da Mercedes (antiga controladora), crescendo de 28 concessionárias para 42 até o final do ano que vem.

Nessas concessionárias ainda chegarão o novo 300 (que abandonou o "C"), para fazer companhia à Town&Country remodelada, que chegou este ano. O sedã perdeu a ousadia, mas ficou mais elegante e requintado, também para se adequar à identidade da Lancia.
O sedã 300 chega ano que vem, remodelado para se encaixar à identidade da italiana Lancia, agora "versão europeia" da Chrysler.
Falando em Lancia, a marca italiana será a Chrysler europeia, ou seja, se tornarão apenas uma marca. A tarefa de fazer essa união cabe à uma pessoa que parece ter bastante capacidade para fazer carros que agradem tanto americanos quanto europeus, Lorenzo Ramaciotti, (agora ex) designer da divisão Ferrari/Maserati, que já sabe que tem uma tarefa difícil: "se você colocar todos os modelos dentro de um showroom, eles devem se se 'encaixar'. É um problema delicado", declarou ele à Bussinessweek.

O grupo ainda deve apresentar o Jeep Compass, um SUV com ares de crossover e que será o modelo de "entrada" da marca, com motor quatro cilindros (2.0 ou 2.4), segundo Quatro Rodas e perto dos R$ 95.000. Informações dão conta de que o modelo chegará inicialmente apenas na versão 4x2, para depois vir uma 4x4.
O modelo recebeu uma reestilização recentemente, se assemelhando ao irmão maior Grand Cherokee.
Outra novidade da Dodge será o crossover Durango, irmão maior do Journey, com tração 4x2 e de uso urbano, que está em processo de homologação. O modelo deverá ter uma opção V6 e outra V8 e custar próximo dos R$ 140.000. O modelo é derivado da picape Dodge Dakota, e se inspira nas picapes do grupo no seu visual robusto. A traseira é mais parecida com a do Jeep Grand Cherokee, que está um degrau acima da novidade.

Segundo a Car and Driver, chega entre março e abril. 
Ainda ficará faltando a geração atual da "picapona" RAM 1500, vinda do México, também está na fase de homologação e chega no primeiro semestre.

A picape reforça a recém-criada marca RAM, que passa a ser a marca comercial do grupo, com picapes e furgões (aqueles usados em séries e filmes de espionagem), que em breve, devem ser derivados do Fiat Ducato. Vale lembrar que o novo Doblò europeu será vendido nos EUA sob essa marca.

Veja Também:


>> "Fiat" Journey é apresentado oficialmente
>> Freemont mostra o verdadeiro lado Adventure da Fiat?
>> Novidades da Lancia: ou da Chrysler?
________________________________________________________________________________________
Fontes e Fotos: Grupo Chrysler/Divulgação  |  Quatro Rodas  |  iCarros  |  Car Magazine  |  Car and Driver BR  |  Interpress Motor

Montadoras

FIAT (118) CHEVROLET (103) VOLKSWAGEN (92) FORD (63) HYUNDAI (60) KIA (47) NISSAN (47) RENAULT (47) GRUPO FIAT (44) TOYOTA (44) HONDA (41) DODGE (34) CHRYSLER (33) GM (33) PEUGEOT (29) FIAT-CHRYSLER (25) JAC (24) ALFA ROMEO (23) CITROËN (22) LAMBORGHINI (16) FERRARI (15) GRUPO CHRYSLER (14) JEEP (14) CHERY (13) HYUNDAI - KIA (12) PSA (12) MASERATI (11) GRUPO VW (10) RENAULT-NISSAN (10) MERCEDES-BENZ (9) AUDI (7) BMW (6) VOLVO (5) LIFAN (4) OPEL (4) ROSSIN-BERTIN (Vorax) (4) SUZUKI (4) ABARTH (3) MITSUBISHI (3) RAM (3) SAAB (3) ASTON MARTIN (2) BMW-i (2) CADILLAC (2) LANCIA (2) LAND ROVER (2) MG (2) PORSCHE (2) TATA (2) GEELY (1) LINCOLN (1) MAHINDRA (1) MAZDA (1) MINI (1) PAGANI (1) SMART (1)